top of page
  • Foto do escritorMultiLab fjn

Teatro como método

Atualizado: 22 de mai. de 2023



Em ação conjunta entre a Fundação Joaquim Nabuco/multiHlab (Recife), University of Leeds (Inglaterra) e Projeto Quixote (São Paulo), com financiamento do Arts & Humanities Research Council, a pesquisa Teatro como Método aconteceu entre junho de 2019 e fevereiro de 2020. O objetivo foi trazer inovação metodológica baseada no uso do teatro como ferramenta de pesquisa, testando e avaliando um modelo baseado no Teatro Social dos Afetos para investigar a violência cotidiana e seu impacto no engajamento de professores e jovens na trajetória escolar.


Diferente de outros protótipos do multiHlab, não se constituiu como uma prática pedagógica mas como uma pesquisa-ação. Atuaram como pesquisadoras Viviane Toraci (Fundaj/multiHlab), Kelly Fernandes (Projeto Quixote), Polly Wilding e Anni Raw (University of Leeds). A pesquisa foi aplicada na Escola de Referência em Ensino Médio Dom Vital (Recife), contando com oficinas teatrais com alunos e professores. A equipe do multiHlab foi responsável pela criação da identidade visual do projeto, site oficial , registro em vídeo de suas atividades como estratégia de coleta de dados e produção de posts e podcast como ações de divulgação científica.


A série de podcasts “Café com Afeto: arte e política do cotidiano” contou com cinco episódios. As pesquisadoras Kelly Fernandes e Daniela Fontes Garcia dialogaram sobre temáticas que surgiram a partir das reflexões com a aplicação do projeto piloto na escola, trazendo diálogos sobre a circulação dos afetos nas instituições e como esta influencia na experiência dos indivíduos; o Esperançar e como é preciso ações táticas para modificar as práticas sociais que impedem a mudança; como as competições influenciam os ambientes das instituições e como os afetos circulam nesses momentos; a suposta dualidade entre assuntos de Família e assuntos da Escola e quais seriam os limites da formação moral; o sofrimento psíquico e como este tema não pode ser omitido dos debates no ambiente institucional.


Este trabalho foi muito impactante para toda a equipe do multiHlab, levando-nos a conhecer as técnicas do Teatro Social dos Afetos e a potencialidade de seu uso em práticas pedagógicas. A partir da pesquisa, desenvolvemos novos trabalhos que trouxeram como base a abertura do diálogo com os jovens estudantes, criando espaços seguros para discussão de conflitos vividos na escola. A técnica foi utilizada na Oficina de Produção Audiovisual realizada com estudantes da EREM Prof. Cândido Duarte, possibilitando a identificação da política de meritocracia na escola como geradora de sentimentos e pensamentos negativos entre os estudantes. Como resultado, eles produziram os vídeos “Utopia” e “Escola não é empresa”, disponíveis no Canal multiHlab no YouTube.


A participação do bolsista multiHlab José Matheus Mariano na pesquisa também resultou na produção de seu trabalho de conclusão de curso no Mestrado Profissional de Sociologia em Rede Nacional intitulado “Sociologia para mediação da relação entre violência urbana e trajetória escolar juvenil”. Desenvolveu um material didático com sugestão de sequência de aulas para o ensino médio trazendo as contribuições do Teatro Social dos Afetos, dos conhecimentos das Ciências Sociais e realização de pesquisa na escola como processo pedagógico capaz de abordar o tema da violência urbana.


Também ficou entranhado no jeito de ser da equipe do multiHlab o princípio da escuta ativa, do estímulo à participação de todos para assim desenvolvermos projetos coletivos cada vez mais criativos e estimulantes.



13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page